Roller Derby é um esporte de contato sobre patins, em que dois times competem por pontos em uma pista oval. É um esporte predominantemente feminino, com mais de 600 ligas femininas espalhadas por mais de 20 países. Existem também ligas masculinas, mistas e juniores.
A Cranium Basher Dolls é uma das ligas atuantes no Espirito Santo, e é uma liga feminina, embora os homens sejam muito bem-vindos como juízes, equipe técnica, staff e colaboradores em geral.

Roller Derby feminino contemporâneo.

Como surgiu?
Originário dos Estados Unidos, o Roller Derby foi muito popular entre as décadas de 1960 e 1970 como uma espécie de espetáculo em que o foco estava mais nos elementos teatrais, brigas encenadas e movimentos exagerados do que na competição em si.
  O antigo Roller Derby
O antigo Roller Derby
 Por volta do final da década de 1990 e início dos anos 2000, o esporte ressurgiu em outros moldes, e rapidamente se espalhou para outros países. A versão contemporânea do Roller Derby é regulada por organizações como a Women’s Flat Track Derby Association (WFTDA) e a Old School Derby Association (OSDA). O conjunto de regras da WFTDA é o mais utilizado atualmente, e é o adotado pela liga Cranium Basher Dolls do ES.
E não é um esporte violento?
As antigas competições de Roller Derby das décadas de 1960 e 1970 encenavam brigas exageradas e jogadas de extrema violência, mais ou menos nos moldes das lutas livres WWF/WWE.
 Juízes apartando briga entre jogadoras na década de 1950
Roller Derby contemporâneo é um esporte sério, com regras, faltas e penalidades. Como no futebol americano e no rugby, o contato é permitido de acordo com regras específicas, e quedas não apenas são previstas como fazem parte do jogo.
Acidentes podem acontecer, como em qualquer modalidade esportiva, e é por isso que todas as jogadoras usam equipamento de segurança obrigatório, além de receberem treinamento e preparo físico específicos com o objetivo de prevenir e minimizar lesões.
Blocker tentando impedir a passagem da jammer adversária

Será que posso praticar Roller Derby com o meu tipo físico?
No Roller Derby, o tipo físico não importa. Aliás, importa sim: as mais altas e gordinhas pode se tornar excelentes bloqueadoras; as magrinhas e baixinhas podem ser muito rápidas, dando ótimas jammers.
Mas isso depende menos do tipo físico do que se imagina: garotas maiores e mais pesadas podem ser muito rápidas, e as mais miúdas, com boa habilidade de patinação e equilíbrio, podem bloquear de forma eficaz.
Mulheres de todos os tipos físicos podem praticar e, independente do peso e da altura, com algumas semanas de treino já sentirão um ganho em resistência física, força e agilidade.

 Hyper Lynx (de preto), da liga Gotham Girls Roller Derby, NY), passa entre duas adversárias
 Beyonslay (de amarelo), estrela da liga Gotham Girls Roller Derby (NY), em ação
Posso começar com a minha idade?
Se você acha que não tem mais idade para começar, saiba que muitas jogadoras nos EUA começaram depois dos trinta anos. Muitas continuam na ativa depois dos 40, e até 50 anos, como é o caso de Hot Flash, que joga pelas Tilted Thunder Rail Birds, de Seattle, EUA. Ela começou com mais de quarenta, e hoje, aos 54 anos, é a mais velha jogadora na ativa de que se tem notícia, e inspiração e ideal de muitas jogadoras mais jovens.
Hot Flash, de 54 anos, a mais velha rollergirl na ativa
A única restrição da liga Cranium Basher Dolls é  em relação à idade de suas jogadoras é ser maior de 18 anos – com raríssimas exceções, a serem analisadas caso a caso, e expressamente autorizadas pelos responsáveis da possível aspirante menor de idade.

Por que as meninas usam fantasias?
O Roller Derby combina os aspectos esportivos com elementos da estética retrô, punk e do chamado feminismo de terceira onda, o que dá ao esporte um apelo visual bastante particular.
Aliás, o visual é parte importante do Roller Derby, ao menos para a maior parte das jogadoras, que investem em maquiagem, roupas que que valorizam o corpo e meias coloridas nos jogos e treinos, além de tatuagens e piercings. E isso vale para jogadoras de todos os tipos físicos: altas ou baixas, magrinhas ou gordinhas.
Além disso, é comum alguns times terem temas específicos, como piratas, marinheiras, policiais etc.

 Tough Cokkies (LA Derby Dolls): escoteiras
 Coffin Draggers (Arizona Derby Dames): mortas-vivas
 Brooklyn Bombshells (Gotham Girls Roller Derby): marinheiras

E os derby names?
Outro aspecto que chama a atenção no Roller Derby são os codinomes das jogadoras, em geral trocadilhos com nomes de famosos ou alusão a armamentos, machucados ou elementos do próprio esporte.
Os codinomes devem passar por aprovação antes de serem registrados em um banco de dados internacional, para evitar nomes repetidos. Além disso, trocadilhos devem ser em língua inglesa, para garantir reconhecimento internacional.
Em geral, as jogadoras só conquistam o direito de usar um derby name depois de alguns meses de treino sério e regular em sua liga.
É possível consultar o registro internacional dos derby names no International Rollergirls’ Master Roaster.


Posso usar qualquer patins?
Não. O Roller Derby é praticado com patins modelo QUAD (aqueles com duas rodinhas na frente e duas atrás). Os modelos ideais para derby são os de cano baixo e sem salto, diferente dos modelos próprios para patinação artística.
 Não é possível praticar Roller Derby com patins inline (aqueles com quatro rodinhas enfileiradas). A postura, o centro de gravidade e a manutenção do equilíbrio ao se patinar com um inline são totalmente diferentes em relação ao QUAD, e não é possível substituir um pelo outro.
Se quer praticar Roller Derby e tem dúvidas sobre o modelo adequado de patins e equipamentos de segurança obrigatórios, escreva pra gente: craniumbasherdolls.rd@gmail.
Anúncios